Após reuniões técnicas, cidades sede acertam últimos detalhes para a Regional do JIMI

Campeã da Microrregional, a equipe de vôlei feminino de Montes Claros é uma das favoritas para ficar com o título da Regional. (Foto: Aquila Larissa/Arquivo Pessoal)

Faltando pouco mais de duas semanas para o início da etapa Regional os Jogos do Interior de Minas (JIMI), competição realizada pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), que será sua disputada entre os dias 6 e 10 de setembro, nas cidades de Itabira, Montes Claros, Pitangui e São João Del Rei, foi divulgada, pela Comissão Organizadora do JIMI, os emparelhamentos das modalidades de basquete, futsal, handebol e vôlei, nos naipes masculino e feminino.

Veja como ficaram as chaves da etapa Regional: Metropolitana–Caparaó–Vale do Aço–Rio Doce (Itabira)Jequitinhonha–Mucuri–Norte–Central (Montes Claros)Triângulo–Noroeste–Sudoeste–Oeste (Pitangui) e Sul–Vertentes–Mata (São João Del Rei).

Após as reuniões técnicas que aconteceram no último dia 10 de agosto, nas quatro cidades sede, onde foram realizados os sorteios das chaves das modalidades e as vistorias nos locais de competição e alojamentos, ficaram faltando apenas detalhes para que tudo esteja realmente pronto. Este é o caso da complementação das inscrições de atletas para essa fase, que foi prorrogado, por meio da Nota Oficial 036/2017, até o dia 31/08.

Com essa definição em mãos, os municípios que receberão a segunda fase do JIMI também podem acertar os últimos detalhes de logística para receberem os quase 4 mil atletas/técnicos que disputarão essa etapa que promete levar aproximadamente 20 mil pessoas aos ginásios das partidas.

Cada cidade uma preferência
Minas Gerais possui o tamanho de um país, por isso, é normal que cada região tenha suas próprias características, seja no sotaque, no clima, nas comidas típicas e até mesmo na preferência esportiva. E é exatamente no último aspecto que cada Regional do JIMI se diferencia.

Não é segredo para ninguém que a população de Montes Claros é apaixonada pelo vôlei. Por isso, das quatro modalidades que estarão em disputa na segunda fase do JIMI, o vôlei masculino e feminino são as que geram as maiores expectativas locais. Não atoa, as equipes que representarão a cidade na modalidade são considerados favoritos ao título da Regional Jequitinhonha–Mucuri–Norte–Central.

Ponteira da equipe feminina, Aquila Larissa sabe que jogar em casa, diante de uma torcida tão apaixonada pelo vôlei, é um privilégio e um incentivo a mais para conquistar a vaga para etapa estadual. “Nos Jogos de Minas, no ano passado fomos campeãs da microrregional e da Regional, mas não conseguimos conquistar o título estadual. Dessa vez, queremos o primeiro lugar e poder ter a torcida a nosso favor é um incentivo e tanto”, conta a atleta.

No lado oposto do estado, na Regional Sul–Vertentes–Mata, que será disputada em São João Del Rei, as principais expectativas são para as competições de basquete e handebol masculino. “Temos uma tradição de sempre nos classificarmos para a fase estadual nessas duas modalidades, e este ano não será diferente. Queremos fazer bonito como cidade-sede, mas também dentro de quadra“, aposta o secretário de Esportes e Lazer de São João Del Rei, Antônio Marcos.

Já pelas regionais Noroeste–Sudoeste–Oeste e Caparaó–Aço–Doce–Metropolitana que serão realizadas respectivamente em Pitangui e Itabira, a disputa que desperta o maior interesse é o futsal masculino.

Campeão da Microrregional, o time de Futsal Masculino de Pitangui quer fazer bonito também na Regional (Foto: José Marcos Diniz/Arquivo Pessoal)

 Em Pitangui, o principal fator que faz do futsal a modalidade preferida é o equilíbrio da competição. Várias cidades chegam nessa fase com chance de conquistar o título, entre elas o time da casa. Comandado pelo técnico José Marcos Diniz, que foi vice-campeão estadual do JIMI em 1999, como atleta, a equipe vai em busca do título.

“Disputei 19 edições do Jimi no Futsal, entre 1985 e 2004. E, apesar de ter conquistado o título da primeira e segunda fase da competição (antigamente a Microrregional e Regional eram chamadas assim) não conseguimos o sonhado título estadual. Em 1999, perdemos a final para Montes Claros, mas como eles não quiseram disputar o Brasileiro, representamos o estado e fomos o time vice-campeões”, conta Zé Marcos.

Já em Itabira o futsal masculino chama a atenção não pelo fator equilíbrio, mas porque todos as equipes participantes tem um objetivo em comum, bater o time de Ponte Nova que é considerado o mais forte da Regional. “Sabemos que todos nos olham como favoritos, isso aumenta um pouco a nossa pressão, mas não nos atrapalha. As cidades investem sempre em atletas de outras cidades e até mesmo outro estado para nos enfrentar, mas esperamos fazer bons jogos para conseguir nossa vaga na Estadual”, destaca Bernardo de Freitas, que além de ser o representante de Ponte Nova, também é jogador do time da cidade.

Fonte: Felippe Drummond 

Faltam 30 dias para o início da etapa Regional do JIMI

Cidades-sede estão quase prontas para receber a competição que classificará os dois primeiros colocados para a Estadual – Felippe Drummond/SEESP

A etapa Regional do JIMI será disputada entre os dias 6 e 10 de setembro, nas cidades de Itabira, Montes Claros, Pitangui e São João Del Rei.

Mesmo faltando um mês para o início da etapa Regional dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), nas quatro cidades que receberão as competições de basquete, futsal, handebol e vôlei, nos naipes masculino e feminino, já está quase tudo pronto. Realizada pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), o JIMI terá sua etapa Regional disputada entre os dias 6 e 10 de setembro, nas cidades de Itabira (Caparaó – Aço – Doce – Metropolitana), Montes Claros (Mucuri – Norte – Central), Pitangui (Noroeste – Sudoeste – Oeste) e São João Del Rei (Sul – Vertentes – Mata). “Será uma grande festa. Nossa expectativa é ver novamente a animação da torcida. Tenho certeza que todos os participantes dos jogos serão muito bem recebidos pelas cidades sede”, afirma do Secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo.

A expectativa é de que os quase 4 mil atletas/técnicos que participarão dessa etapa levem aproximadamente 20 mil pessoas aos ginásios que receberão as partidas.

Para Montes Claros e Pitangui, que também sediaram respectivamente as Microrregionais Norte-Central e Sudoeste-Oeste, só é preciso corrigir alguns detalhes. “Muda pouca coisa de uma etapa para outra. É claro que como o nível técnico dos atletas é mais alto, também aumenta nossa responsabilidade como sede. Porém, na parte de organização estamos realmente prontos”, garante o representante de Montes Claros, Sebastião Pereira.

Apesar de também estar confiante, o representante de Pitangui, Alexandre Moreno sabe que ainda é preciso melhorar alguns detalhes. “O único nervosismo que temos atualmente é com o fato de que essa será a primeira vez na história que nossa cidade receberá uma etapa Regional do JIMI. Mas, por termos sediado a primeira fase, os locais de competição e alojamentos nas escolas, já foram testados e está tudo 100%. Mesmo assim ainda precisamos corrigir alguns detalhes para tornar a experiência de quem vier competir, ainda mais prazerosa”, acredita o representante de Pitangui, Alexandre Moreno.

Já em São João Del Rei e Itabira, que receberão pela primeira vez uma etapa da competição deste ano, os preparativos já estão em reta final e as expectativas dos responsáveis são as melhores possíveis. “Os preparativos em Itabira estão a todo o vapor. Formamos uma comissão central que ficou responsável por discutir, planejar e realizar tudo em nossa cidade, dentro do projeto que havíamos estipulado e iremos conseguir cumprir tudo no tempo correto. Como a cidade recebeu a etapa Estadual dos Jogos de Minas, em 2015, e tudo correu muito bem, nossa expectativa é sermos a melhor sede de todos os tempos”, confia o representante de Itabira, Marcelo da Silva.

“Estamos cumprindo a risca nosso cronograma de execução. Nossas quadras já estão prontas, as escolas onde as delegações das outras cidades ficarão também já estão arrumadas. Agora dependemos da Reunião técnica, quando será definido o chaveamento, para definirmos toda a logística de hospedagem dos atletas próximos aos locais de competição”, avalia o secretário de Esportes e Lazer de São João Del Rei, Antônio Marcos.

Reuniões técnicas
Por falar nas reuniões técnicas, elas acontecerão na próxima quinta-feira (10), às 9h, nas quatro cidades-sede (clique aqui para saber onde serão os encontros em cada Regional). No encontro, além dos sorteios das chaves das modalidades, os representantes municipais poderão obter esclarecimentos sobre os regulamentos da competição, alojamentos e locais de competição.

Os benefícios de ser sede
Além do fomento ao esporte, receber uma competição como JIMI também gera para o município outros benefícios, entre eles, o fato de que a cidade que sedia qualquer etapa da competição recebe pontos no ICMS Esportivo – ação da SEESP que redistribuí uma parcela da receita do produto da arrecadação do ICMS pertencente aos municípios.

“É claro que o foco primário sempre é o esporte, mas junto a ele também recebemos o benefício de melhorar nossa pontuação no ICMS e com isso garantir uma quantia maior de recursos advindos deste mecanismo. Mas não para por ai, com a vinda do JIMI acabamos fazendo algumas melhorias para a cidade, sejam nas quadras que receberão as competições ou nas escolas que recebem os atletas”, conta Alexandre Moreno.

Outro efeito que a passagem do JIMI gera para as cidades-sede é a grande movimentação turística, cultural e econômica. Essa é a principal expectativa do secretário de Esporte e Lazer de São João Del Rei. “Estamos preparando uma grande recepção para os competidores que virão para a nossa cidade. Nossa ideia é mostrar nossa rica história, afinal São João Del Rei é uma cidade com mais de 300 anos, que possui inúmeras atrações para serem visitadas. Temos certeza que quem vier competir aqui, vai querer voltar como turista”, confia Antônio Marcos.

Para Montes Claros que apenas neste ano já sediou as duas primeiras etapas do JEMG e a primeira do JIMI, voltar a receber a etapa Regional dos Jogos do Interior é mais uma oportunidade de ouro para cidade. “Além das atividades econômicas, queremos aproveitar mais uma vez a vinda dos jogos para ter mais visibilidade e mídia espontânea para Montes Claros. Com o sucesso já alcançado nas outras fases, esperamos ter mais apoio na organização contando com a sociedade, os jogadores e a torcida”, acredita Sebastião.

Definidos os classificados para a etapa Regional do JIMI

A Comissão Organizadora dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), por meio da Nota Oficial 033/2017, divulgou nesta terça-feira (11), quais os municípios que estão classificados para a disputa da fase Regional, que acontecerá entre os dias 6 e 10 de setembro.

Quase um mês após o término da etapa Microrregional dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), que foi realizada em oito cidades-sede, no período de 14 a 18 de junho, estão classificadas para a próxima fase da competição estadual um total 245 equipes entre basquete, futsal, handebol e vôlei, nos naipes masculinos e femininos, de 103 municípios diferentes. Destaque para as cidades de Itabira, Montes Claros e São João Del Rei, que tiveram equipes classificadas em todas as modalidades e gêneros.

Os municípios agora se preparam para competir na fase Regional, nas cidades-sedes de: Pitangui (Triângulo-Noroeste/Sudoeste-Oeste), São João del-Rei (Sul/Vertentes-Mata), Montes Claros (Jequitinhonha-Mucuri/Norte-Central) e Itabira (Caparaó-Aço-Doce/Metropolitana).

Já a etapa Estadual ocorrerá de 11 a 15 de outubro em Lavras, com os esportes coletivos, e nas modalidades individuais e PCD: atletismo (paralímpico e convencional), natação (paralímpica e convencional), ciclismo speed, ciclismo mountain bike, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica e basquete em cadeira de rodas.

Jogos do Interior de Minas
O JIMI é um programa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esportes, que envolve atletas e equipes do interior em uma grande competição esportiva, com o objetivo de fomentar a prática de atividade física; incentivar a qualificação técnica e tática de atletas e equipes; promover a integração esportiva e o intercâmbio entre as várias representações municipais, contribuindo para o desenvolvimento do esporte; além de aprimorar a gestão esportiva em todo o território mineiro.

Ao todo, o JIMI conta 16 modalidades esportivas em disputa, nos naipes masculino e feminino. Além das modalidades coletivas (basquetebol, futsal, handebol e voleibol), também acontecerão competições dos esportes individuais e PCD nas seguintes vertentes: atletismo, natação, ciclismo speed, ciclismo mountain bike, natação, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica, basquete em cadeira de rodas, atletismo PCD e natação PCD.

Para ver o Cronograma completo do JIMI, clique aqui.

Mais informações: http://www.jimi.esportes.mg.gov.br

Em caso de dúvida, entre em contato pelo e-mail: jimi@esportes.mg.gov.br

Fonte: Felippe Drummond/SEESP

Estão abertas as inscrições para as competições individuais e PCD’s do JIMI

Interessados tem até 15 de setembro para garantir sua vaga nas disputas que acontecerão entre os dias 11 e 15 de outubro, em Lavras – Felippe Drummond/SEESP

Foram abertas nesta sexta-feira (7) as inscrições para os municípios interessados em participar das modalidades individuais e destinadas às pessoas com deficiências (PCDs) dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), competição que é realizada pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP).

O prazo para os atletas e/ou equipes que queiram disputar uma das 12 modalidades esportivas, nos naipes masculino e feminino, vai até o dia 15 de setembro. Vale lembrar que os interessados devem procurar a prefeitura de seu município e solicitar sua participação no JIMI. Neste ano, a etapa estadual da competição será realizada na cidade de Lavras, na Região Sul do Estado, entre os dias 11 e 15 de outubro, com as disputas coletivas, individuais e PCDs.

Assim como o JIMI, que voltou a ser disputado neste ano, em seu formato original, após ter sido substituído em 2012 pelos Jogos de Minas Gerais, as competições PCD’s também retornam ao calendário após quatro anos de hiato.

“É muito importante a volta de uma competição como o JIMI, pois é a oportunidade dos atletas paralímpicos disputarem uma competição de nível estadual. Além da inclusão que gera, o JIMI é a principal competição em nosso setor. Por isso, atletas e técnicos o encaram como se fosse um verdadeiro Campeonato Mineiro”, explica o técnico de atletismo paralímpico da equipe de Uberlândia, Leandro García.

Garcia lembra que a cidade do Território Triângulo Norte possui uma grande tradição no que diz respeito às modalidades paralímpicas. “Já ganhamos o JIMI em diversas oportunidade. A expectativa, agora, é que voltaremos a buscar o título”, aposta.

Leandro aposta em seu conjunto, mas uma atleta, em especial, chama sua atenção. “Temos uma atleta que é um fenômeno, chamada Ana Luíza. Ela tem apenas 17 anos e é líder dos rankings adulto da Confederação Paralímpica do Brasil (CPB) no lançamento de disco e no dardo. Porém, como as duas modalidades não serão disputadas, ela deve competir no arremesso de peso, 100m livres e salto em distância”, completa.

Outras datas
A etapa Microrregional, que teve as disputas coletivas de basquete, futsal, handebol e voleibol, nos naipes feminino e masculino, aconteceu entre os dias 14 e 18 de junho, nas oito sedes: Montes Claros (Norte-Central), Pouso Alegre (Sul), Pitangui (Sudoeste-Oeste), Cataguases (Vertentes-Mata), João Monlevade (Metropolitana), Ponte Nova (Caparaó-Aço-Doce), Jequitinhonha (Jequitinhonha-Mucuri) e Frutal (Triângulo-Noroeste).

As equipes que se classificaram, agora se preparam para competir na fase Regional, que acontecerá entre os dias 6 e 10 de setembro, e contará com quatro sedes: Pitangui (Triângulo-Noroeste/Sudoeste-Oeste), São João del-Rei (Sul/Vertentes-Mata), Montes Claros (Jequitinhonha-Mucuri/Norte-Central) e Itabira (Caparaó-Aço-Doce/Metropolitana).

Saiba mais
O JIMI é um programa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esportes, que envolve atletas e equipes do interior em uma grande competição esportiva, com o objetivo de fomentar a prática de atividade física; incentivar a qualificação técnica e tática de atletas e equipes; promover a integração esportiva e o intercâmbio entre as várias representações municipais, contribuindo para o desenvolvimento do esporte; além de aprimorar a gestão esportiva em todo o território mineiro.

Ao todo, o JIMI conta 16 modalidades esportivas em disputa, nos naipes masculino e feminino. Além das modalidades coletivas (basquetebol, futsal, handebol e voleibol), também acontecerão competições dos esportes individuais e PCD nas seguintes vertentes: atletismo, natação, ciclismo speed, ciclismo mountain bike, natação, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica, basquete em cadeira de rodas, atletismo PCD e natação PCD.

Para ver o Cronograma completo do JIMI, clique aqui.

Mais informações: http://www.jimi.esportes.mg.gov.br

Em caso de dúvida, entre em contato pelo e-mail: jimi@esportes.mg.gov.br

Comércio aproveita oportunidades econômicas geradas com o JIMI

Além do movimento turístico, cidades-sede ganham projeção no estado.- Vítor Gomes/SEESP

Comerciantes aproveitaram a chegada dos atletas que disputaram o JIMI para ampliar faturamento. Crédito: Freepik

 

A realização da etapa Microrregional dos Jogos do Interior de Minas (JIMI) teve como efeito colateral positivo uma geração de receita extra para o comércio e serviços das cidades-sede –Cataguases, Frutal, Jequitinhonha, João Monlevade, Montes Claros, Pitangui, Ponte Nova e Pouso Alegre. A Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), organizadora da disputa, defende o desenvolvimento econômico por meio das competições, tanto, que o assunto foi abordado junto aos representantes dos municípios durante as reuniões técnicas do JIMI.

O secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo, avalia o efeito do JIMI na economia de Minas Gerais. “O deslocamento dos jogadores, árbitros, técnicos e cidadãos dos 200 municípios participantes da etapa Microrregional proporcionaram uma injeção de recursos, principalmente na rede turística. Comércios, restaurantes, hotéis e empresas de transporte, por exemplo, receberam mais clientes no período dos jogos do que em comparação a outras datas similares. O comerciante que não esteve atento ao potencial econômico do JIMI deve acompanhar os próximos cronogramas da competição”, aponta.

Cataguases recebeu 19 cidades dos territórios Mata e Vertentes para as disputas de basquete, futsal, handebol e voleibol. O movimento fez com que um dos hotéis cataguasenses, o Spíndola, recebesse 40% a mais de hóspedes do que o esperado para a época do ano. “De terça-feira (13) até domingo (18), ficaram aqui árbitros e jogadores, o que levou o hotel a preencher todos os quartos. A realização do JIMI é excelente e ideal para os comerciantes da cidade”, analisa o proprietário, Horácio Spíndola. Para ele, o evento também levou benefícios para outros setores. “O comércio, os produtores da cidade, os restaurantes e as lojas atraíram clientes e puderam aproveitar o movimento turístico”, destaca.

Cláudia Fernandes, de Frutal, Triângulo Sul, não perde as oportunidades com os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), também organizados pela SEESP, e não foi diferente com o JIMI. Proprietária do Restaurante Tia Jô, sempre prepara as refeições para os alunos-atletas do JEMG, e para o JIMI abriu seu negócio durante o recesso de Corpus Christi para receber os jogadores. “Geralmente, não abrimos aos feriados e domingos, mas com essa demanda tivemos um bom retorno, com mais clientes durante nosso almoço e jantar.”, conta.

Visibilidade dentro e fora das quadras

Potencial econômico das competições esportivas é acompanhado por gestores. Foto: Divulgação/Prefeitura de Frutal

 

Especialista em marketing, o secretário de Estado Adjunto de Esportes, Ricardo Sapi, reitera que o efeito do JIMI não é um fato isolado. Ele relatou que desde 2015 a secretaria já tem o olhar atendo para a capacidade de geração de receita, nos municípios, por meio dos eventos esportivos. “Além das competições organizadas pela própria SEESP, como o JIMI e o JEMG, primamos por apoiar grandes eventos capazes de trazer times, imprensa, e os acompanhantes dos atletas de outros estados para Minas Gerais. Em 2016, por exemplo, apoiamos os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) e o XX Mundial Júnior de Handebol Masculino, que juntos movimentaram R$ 13,5 milhões em Uberaba e Uberlândia”, relembra.

Em 2017, Montes Claros já foi sede das primeiras etapas do JIMI e do JEMG, e voltará a receber a etapa Regional de ambas as competições. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da cidade, Edilson Torquato, a oportunidade de sediar os eventos esportivos ultrapassa a geração de receita imediata. “Além dos impactos nas atividades econômicas, que vão desde o transporte público até nos bares e restaurantes, os jogos dão visibilidade e mídia espontânea para Montes Claros. A cobertura da imprensa nos rádios, na televisão e na internet projeta o município para todo o estado e mostra sua potencialidade”, destaca. Para a próxima etapa do JEMG –de 10 a 15 de julho– e do JIMI –de 6 a 10 de setembro –, as expectativas são grandes. “Com o sucesso já alcançado nas outras fases, esperamos ter mais apoio na organização contando com a sociedade, os jogadores e a torcida. Com isso vamos agregar mais ao esporte na cidade”, pontua.

Sucesso de público e de participação são destaques na Microrregional do JIMI

Chegou ao fim, no último domingo (18), a etapa Microrregional dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), realizada pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP). Com quase mil partidas disputados de basquete, futsal, handebol e voleibol, nos naipes masculino e feminino, nas oito cidades que receberam essa fase, a competição já é considerada um sucesso pela organização.

“Quando trouxemos o JIMI de volta para nossas ações o objetivo era levar o esporte para mais pessoas e permitir essa interação que aconteceu aqui em Pitangui. Mas tudo isso só é possível graças aos gestores do município, que além dessa fase também irão sediar a etapa Regional, em setembro, e também este ano já havia recebido os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG)”, elogia o secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo, durante a cerimônia de abertura em Pitangui, realizada na última quarta-feira (14). O JEMG também é uma competição organizada pela SEESP.

Substituído em 2012 pelos Jogos de Minas, o JIMI voltou este ano ao seu formato original, incentivando assim o esporte de participação, e atendendo a grande demanda da população e gestores esportivos de Minas Gerais. Pela primeira vez, a competição aconteceu em oito sedes simultâneas, acarretando na diminuição de WOs (quando uma das equipes vence por ausência do adversário em quadra)..

Prova de que a secretaria foi assertiva no planejamento da competição,. De fora das competições organizadas pela SEESP desde 2014, a cidade do Território Sul não apenas retornou à disputa do JIMI neste ano, como também sediou a microrregional Sul, feito que não acontecia há 28 anos –a última foi em 1989. Um esforço tão grande não poderia passar despercebido, e como prova da importância do retorno do município, o secretário de Estado Adjunto de Esportes, Ricardo Sapi, que é natural de Varginha, fez questão de estar presente na cerimônia de abertura realizada na cidade.

Outras sedes que também se destacaram foram Pitangui e Montes Claros. Além da Microrregional, os dois municípios também receberão a fase Regional do JIMI, entre os dias 6 e 10 de setembro. Itabira e São João Del Rei também serão sede na referida etapa.

Representante de Pitangui na competição, Alexandre Moreno comemorou o sucesso da primeira etapa, e afirmou que a cidade tem potencial para sediar disputas ainda mais belas na fase Regional. “Fomos muito elogiados pelos participantes. Mesmo assim, vimos que apesar de termos atendidos todas as exigências ainda podemos melhorar alguns detalhes. Para a próxima etapa vamos receber um número maior de municípios, já que receberemos regiões diferentes e bem mais distantes do que nessa fase. Mas, tenho certeza que conseguiremos ter sucesso novamente”, almeja.

Bicampeã geral dos Jogos de Minas, Montes Claros também recebeu a competição na última semana. Sede da Microrregional Norte-Central, a cidade, além de terminar entre as três melhores em todas as modalidades disputadas, foi a que mais recebeu público. Com ginásios cheios, a população local mostrou sua paixão pelo esporte, deixando claro que o município é novamente um forte candidato ao título.

Satisfação e progresso através do esporte
A deficiência física no membro superior esquerdo não foi uma barreira para Nara Sant’Ana, jogadora de handebol de Conselheiro Lafaiete, competir nos Jogos. “Comecei aos onze anos na escola, participando de diversas competições, como o JEMG. Em 2004, quando completei 15 anos, comecei a participar do JIMI, jogando em quase todas as edições desde lá”, conta. A atleta é ponta-direita, posição na qual a maioria dos jogadores é canhota, mas jogar com o braço direito foi algo de fácil adaptação para Nara. “Minha deficiência é congênita, nunca tive dificuldades e sempre me adaptei bem ao que tive de fazer. Muitas pessoas acham que isso foi uma barreira, porém nunca foi uma dificuldade”, afirma. Sua equipe ficou com o segundo lugar na fase Microrregional disputada em Cataguases, onde o time de Juiz de Fora foi campeão. “Tive a oportunidade de competir com equipes que não conhecia, e gostei muito do resultado. Foi uma experiência muito boa, pude contribuir para a participação do time”, finaliza.

Ernane Martins, ex-treinador de voleibol e um dos responsáveis do JIMI em Frutal, desde a década de 80 acompanha a evolução da competição. Crédito: SEESP/MG

 

Em 1986, foi realizada a primeira edição do JIMI e na execução da etapa Microrregional a cidade de Frutal inaugurou seu primeiro ginásio municipal, como conta Ernane Martins, ex-treinador de voleibol e um dos responsáveis da prefeitura pelo evento neste ano. “Na época, era professor recém-formado e tínhamos uma grande expectativa em torno do estádio para a realização de jogos e para o esporte na cidade. Se fizermos um apanhado geral da competição depois de todos esses anos, vejo o envolvimento em mais modalidades e também de mais municípios, além da melhora no nível técnico, principalmente no feminino”, relata. Com a volta do JIMI, Ernane constata o progresso dos times da região. “Nós, aqui em Frutal, pudemos crescer bastante com nosso histórico no JIMI, através de constantes participações. Nesta edição, estou surpreso com a evolução das cidades, principalmente no basquete e no futsal feminino”, relata.

Oportunidade para atletas, técnicos e cidadãos
Para o técnico de futsal masculino de Três Corações, Eduardo Augusto, a cobrança é sempre grande quando se é natural da terra do Rei Pelé. “A cidade está despontando vários garotos para a liga profissional. O time foi formado no começo do ano com jogadores novos mesclando com outros mais experientes, trabalho que está dando frutos, como a chegada ao JIMI”, conta.

As realizações dos jogos nas oito sedes tiveram entrada gratuita e os moradores puderam assistir às partidas, como é o caso do pouso-alegrense Isaac Soares. “É uma boa oportunidade para assistir pessoas de bom nível jogando, posso ver que são fortes. Gostei muito de ver, sem precisar pagar para apreciar um bom jogo”, declara. O torcedor assistiu às disputas de basquete, futsal e voleibol e afirma que o evento contribuiu para o esporte em Pouso Alegre. “É muito importante a cidade conhecer o esporte dessa maneira como foi aqui”, finaliza.

Próximas etapas
Os campeões da primeira fase, a Microrregional, apontaram os classificados para a etapa Regional. Diferente do que aconteceu em 2016, as equipes classificadas serão agrupadas em apenas uma divisão. Confira aqui a lista dos resultados dos jogos.

A etapa Estadual ocorrerá de 11 a 15 de outubro em Lavras, com os esportes coletivos, e nas modalidades individuais e PCD: atletismo (paralímpico e convencional), natação (paralímpica e convencional), ciclismo speed, ciclismo mountain bike, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica e basquete em cadeira de rodas.

Fonte: Felippe Drummond/SEESP e Vítor Gomes/SEESP

Grandes histórias marcam os primeiros dias de disputas do JIMI 2017

Do Norte ao Sul do Estado, atletas superam barreiras para competir. Confira o relato de quem entra em quadra hoje – Felippe Drummond/SEESP

Após vencer um câncer no pulmão, Leticia (ao centro) aproveita cada minuto em quadra ao lado das companheiras no time de Itajubá (Foto: Felippe Drummond/SEESP)

Ainda faltam três dias para o fim da fase Microrregional dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), mas, após dois dias de disputas, começam a surgir grandes histórias de atletas que abdicam de muitas coisas para competir.

Uma dessas histórias é a de Letícia Mantovani. Jogadora de handebol, da equipe de Itajubá, que disputa a Microrregional Sul, ela só foi liberada para a competição realizada pela Secretaria de Estado de Esportes de Minas Gerais, cinco dias antes dos jogos começarem. Aos 28 anos, ela foi diagnosticada com um Linfoma de Hodgkin (um tipo raro de câncer) no pulmão, em junho de 2016, e precisou se afastar das quadras para realizar um complicado tratamento. Proibida de praticar qualquer tipo de esporte ela passou por 12 sessões de quimioterapia.

“Foi duro, eu não podia fazer nenhum esforço físico para não forçar meu pulmão. Mas era minha vida que estava em jogo. Parei com tudo, até mesmo de andar durante o tratamento. Mas nunca desisti de jogar handebol. Coloquei como meta que voltaria a jogar o quanto antes”, conta Letícia.

Ao final desse tratamento, Letícia estava pronta para voltar às quadras, só que toda expectativa acabou quando ela foi novamente barrada por sua médica. “Fui para uma nova consulta com a certeza que seria liberada para voltar a jogar handebol. Lá fui informada que precisaria passar por mais um tratamento, dessa vez seriam 17 sessões de radioterapia”, lembra a jogadora que chegou a avisar as companheiras de time que não poderia disputar o JIMI.

Sem esperanças e faltando menos de uma semana para o início da competição, Letícia tinha uma nova consulta, na última sexta-feira (9/6), onde receberia os resultados das sessões de radioterapia. Foi aí que ela acabou sendo surpreendida.

“Eu não tinha mais expectativas de poder jogar no JIMI, de qualquer forma, eu estava inscrita e iria como técnica do time. Entrei no consultório e minha médica me disse que eu estava liberada para voltar a jogar, apenas cinco dias antes do início. Chorei muito, mas consegui o que eu mais queria: voltar a jogar handebol e poder estar aqui (Pouso Alegre), disputando uma competição dessas”, conclui emocionada Letícia.

Mesmo com um resultado negativo na estreia da competição (Itajubá foi derrotada por 28 a 8, por Pouso Alegre), Letícia era só sorrisos e disposição, assim como todas as suas companheiras. Nesta sexta-feira (16), ela estará novamente em quadra, quando sua equipe enfrentará Lavras, precisando da vitória para seguir com chance de avançar na competição.

Múltiplas de funções
Saindo do Sul de Minas, para o outro lado do estado, na Microrregional Norte, um jogador de vôlei vem precisando se desdobrar para conseguir cumprir dois papeis diferentes. Trata-se do levantador Gabriel Lima, do time de Montes Claros, além de jogador do time masculino, ele também é o técnico do time feminino da cidade.

“A concentração tem que ser dobrada, pois são duas responsabilidades diferentes, mas, de muita importância. Tento me manter focado no momento de cada uma das tarefas para conseguir desempenhar bem os papéis”, conta Gabriel, que nos dois primeiros dias do JIMI teve que se multiplicar para exercer as duas funções, já que as tabelas de ambas as equipes foram em jogos com horários seguidos, tendo que dirigir o time feminino e depois entrando em quadra com os homens.

Técnico do time feminino de vôlei de Montes Claros, Gabriel (camisa 7, no lado esquerdo) também é o levantador do time masculino. (Fotos: Gabriel Lima)

Para aguentar essa jornada dupla, Gabriel se espelha em ninguém menos que no técnico Bernardinho, que durante mais de uma década foi simultaneamente treinador do Rexona, time feminino de vôlei do Rio de Janeiro, e da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino. “O Bernardinho é exemplo para qualquer um. Ele sabe lidar muito bem tanto com homens quanto com mulheres. Nesse sentido eu tento seguir o mesmo caminho, quando estou em quadra ou fora dela, sempre busco que o time confie nas minhas ações e opções técnicas e táticas”, avalia o levantador/técnico.

E o resultado de tamanho esforço está sendo recompensado, até agora Gabriel tem um aproveitamento de 100%, com quatro vitórias. Com o time masculino ele ajudou nas vitórias de Montes Claros sobre Porteirinha (3 sets a 0) e Curvelo (3 a 1).

Nesta sexta-feira, ele volta a ter que encarar mais uma rodada dupla. Primeiro, às 18h, ele dirige o time feminino montes-clarense contra Juramento, logo depois, às 19h30, entra em quadra com os companheiros para enfrentar o time de Porteirinha.

Resultados
O JIMI voltou ao formato original após ser substituído em 2012 pelos Jogos de Minas Gerais e é realizado em três etapas. Os jogos da Microrregional, acontecem até o próximo domingo (18), nos municípios de Cataguases, Frutal, Jequitinhonha, João Monlevade, Montes Claros, Pitangui, Ponte Nova e Pouso Alegre.

Nesta sexta-feira (16), serão definidos os times que avançam para as semifinais do basquete, futsal, handebol e voleibol, que serão disputadas sábado (17), e definirão os finalistas dessa primeira fase da competição. Ao final de cada dia os resultados estarão disponíveis na página do JIMI.

Próximas etapas
Os três primeiros colocados da fase Microrregional se classificam para a Regional, que será realizada entre 6 e 10 de setembro em quatro sedes: Itabira, Montes Claros, Pitangui e São João del Rei.

A etapa Estadual ocorrerá de 11 a 15 de outubro em Lavras, com os esportes coletivos, e nas modalidades individuais e PCD: atletismo (paralímpico e convencional), natação (paralímpica e convencional), ciclismo speed, ciclismo mountain bike, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica e basquete em cadeira de rodas.

Com a expectativa de 194 municípios participantes, tem início o JIMI 2017

Disputas nas modalidades coletivas acontecem na etapa microrregional até o próximo domingo (18) – Vítor Gomes/SEESP

Disputa de futsal em Pouso Alegre. Foto: Felippe Drummond/SEESP

O esporte no estado já vive grandes emoções com os Jogos do Interior de Minas (JIMI), realizado pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP). De hoje (14) até domingo (18), Cataguases, Frutal, Jequitinhonha, João Monlevade, Montes Claros, Pitangui, Ponte Nova e Pouso Alegre recebem partidas de basquete, futsal, handebol e voleibol. Já pela manhã, as equipes de basquete masculino de Caeté e Itabirito se enfrentaram em João Monlevade, Território Metropolitano, com a vitória dos itabiritenses. “Foi um jogo excelente! No primeiro tempo fomos pressionados e tivemos um pouco de dificuldade para atacar, mas depois, a partir do segundo, o time entrosou e conseguimos melhores táticas e rotação no jogo. A ótima arbitragem também foi essencial para o andamento da partida”, conta o jogador Eduardo Braga. Para ele, a união entre os competidores, que estão juntos há quatro anos, foi essencial para vencerem, além de aumentar as expectativas para as próximas disputas. “Nós nos preparamos por muito tempo e viemos competir bem treinados. Queremos continuar com o nosso ritmo, fazer boas partidas, porque temos condições de lutar pelo título”, declara.

Entre as 974 disputas programadas na etapa microrregional entre 194 municípios passarão grandes nomes do desporto nacional, como é o caso de Wanderley Maia, o Leley, ex-jogador da Seleção Brasileira de Handebol e atual treinador da modalidade nos times ponte-novenses nos naipes feminino e masculino. Natural de Belo Horizonte, saiu da capital na década de 1980 e continuou a se dedicar ao esporte. “Quando mudei para Ponte Nova comecei a competir nos Jogos do Interior, depois fui para Juiz de Fora e disputei por lá. A última edição que joguei foi a de 2004, aos 50 anos”, conta. Pelo time juiz-forano, foi hexacampeão do JIMI.

“Ponte Nova é uma cidade que respira handebol, dos pequenos aos mais experientes. Quando voltei para a cidade, já conhecia muitos jogadores e demos continuidade aos treinos. A nossa equipe está sempre renovada, e com isso revelamos atletas”, afirma. Como exemplo da tradição do município, a jogadora Talita Alves do Concórdia (SC) foi convocada para a Seleção Brasileira Juvenil e já competiu nos Jogos de Minas Gerais. Para edição de 2017 do JIMI as expectativas estão altas, segundo o treinador. “Temos a pretensão, no masculino, de classificar e jogar até a terceira fase e sermos campeões. Já no feminino, apesar de estarmos jogando com uma equipe juvenil, também iremos buscar bons resultados”, declara.

Amanhã (15), o time de futsal feminino de Várzea da Palma, Território Norte, entra em quadra pela primeira vez em Montes Claros e as jogadoras esperam alcançar a classificação para a próxima etapa. “Para os Jogos treinamos várias vezes na semana. Temos sempre rivalidade com Montes Claros, com quem já disputamos muitas vezes as finais, mas buscaremos o título”, afirma a capitã Eliene Marques. No currículo, a competidora já participou de cinco conquistas da cidade nas fases microrregional e regional e desde lá aperfeiçoou as táticas do esporte, além de formar uma grande relação com a equipe. “O time é como uma segunda família. Treinar no dia-a-dia estabelece uma grande relação de amizade, nas quadras divido um grande momento com pessoas importantes para mim em uma coisa que amo, o esporte”, conta.

Etapas
A competição voltou ao formato original após ser substituída em 2012 pelos Jogos de Minas Gerais e é realizada em três etapas. Os jogos da primeira fase, a Microrregional, acontecem até o próximo domingo (18). As cerimônias de abertura serão hoje à noite nas oito cidades-sede. Confira aqui os horários e locais das solenidades. Ao final de cada dia de competição os resultados estarão disponíveis na página do JIMI.

Os campeões classificarão para a Regional, que será realizada entre 06 e 10 de setembro em quatro sedes: Itabira, Montes Claros, Pitangui e São João del Rei. Diferente do que aconteceu em 2016, as equipes classificadas serão agrupadas em apenas uma divisão.

A etapa Microrregional ocorrerá de 11 a 15 de outubro em Lavras, com os esportes coletivos, e nas modalidades individuais e PCD: atletismo (paralímpico e convencional), natação (paralímpica e convencional), ciclismo speed, ciclismo mountain bike, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica e basquete em cadeira de rodas.

Com quase mil jogos programados, JIMI 2017 começa na próxima quarta-feira (14)

Com a participação de 194 municípios, competição acontece simultaneamente em oito cidades. Renata Silva/SEESP

Árbitro da FIFA, Alexandre Campos apita disputa de futsal. Foto:Arquivo/SEESP

A próxima semana será de muito esporte nos quatro cantos de Minas Gerais. Entre os dias 14 e 18 de junho, oito cidades recebem as etapas microrregionais dos Jogos do Interior de Minas – JIMI 2017: João Monlevade, Pitangui, Jequitinhonha, Montes Claro, Pouso Alegre, Frutal, Cataguases e Ponte Nova. Estão previstas 974 partidas de basquete, futsal, handebol e voleibol, nos naipes masculino e feminino, com a participação de 194 municípios. As cerimônias de abertura acontecem no dia 14 à noite (veja mais informações no fim da matéria).

Substituído em 2012 pelos Jogos de Minas, o JIMI volta ao seu formato original, atendendo a uma demanda da população mineira levantada durante os Fóruns Regionais de Governo. Em 2017, 321 municípios se inscreveram na competição – mais que o dobro da edição de 2016 dos Jogos de Minas Gerais.

Para o secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo, com 33 anos de tradição o JIMI traduz a importância do esporte na vida do povo mineiro. “É muito bom poder fazer parte deste retorno dos Jogos do Interior, que por tantos anos encantou, atraiu torcidas e motivou atletas de centenas de cidades. Quem é do interior, como eu, sabe o valor deste evento para a população, sabe como o JIMI mobiliza os municípios por onde passa, potencializa a economia, o turismo e a interação entre os participantes”, destaca.

O secretário ressalta ainda o papel do evento no incentivo à prática esportiva pela população. Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério do Esporte revelou que, no país, seis em cada dez pessoas com 15 anos ou mais não praticaram esporte ou atividade física entre setembro de 2014 e setembro de 2015, contra 37,9% que praticaram. Em termos de população projetada, são mais de 100 milhões de sedentários e 61,3 milhões que se consideram mais ativos.

Atletas vivem expectativa
Cerca de 1.225 km separam Araporã, cidade com 6.717 habitantes na divisa de Minas com Goiás, e Jequitinhonha, município com 25.465 moradores, sede da microrregional Jequitinhonha-Mucuri, localizada no leste do estado. A distância, no entanto, não diferencia a expectativa dos atletas pela participação no JIMI.

Os times masculinos araporenses participam das disputas de basquete, futsal e handebol em Frutal – microrregional Triângulo Noroeste. Para o atleta Rodrigo Santana, goleiro do time de handebol, voltar ao JIMI é uma oportunidade de retomada do tradicional time da cidade. “Já participei em outras seis edições, comecei quando tinha 17 anos, e agora estou com 32. Nosso time é bem mesclado, alguns atletas com mais trinta anos e outros ainda são jovens”, afirma. O atleta ainda conta que as expectativas da equipe para os Jogos são grandes. “Temos uma base forte em Araporã e vamos entrar em quadra com o intuito de ganhar medalha”, declara.

Já em Jequitinhonha, a ansiedade é dupla: por sediar a competição e para entrar em quadra. A cidade receberá representantes de 32 municípios – o maior número entre as microrregionais. Segundo o técnico de basquete masculino jequitinhonhense João Paulo Cabral, o time já está preparado para a disputa. “A equipe já participa há muitos anos dos Jogos, temos um time jovem, com atletas que disputaram o JEMG e não têm mais idade para a competição escolar”, conta. “Desde 2013 conseguimos boas campanhas e chegamos à fase estadual”, prossegue. De acordo com o profissional, a cidade também está pronta para receber o evento. “Estamos ansiosos pelo começo da etapa, o município se preparou, o comércio, e a população está bem animada também”, conclui.

Competição de futsal contará com árbitro FIFA 
Alexandre Campos é de Juiz de Fora. Árbitro de futsal do quadro da FIFA desde 2011, ele traz no currículo importantes competições: torneios sul-americanos, Grand Prix, Mundial Universitário, quatro finais de Liga Nacional, quatro finais de Taça Brasil, diversos desafios internacionais – entre eles, o confronto entre Brasil e Argentina, realizado em 2014 em Brasília diante de 69 mil torcedores – e 13 edições do JIMI.

Neste ano, Alexandre atuará na microrregional Vertentes-Mata, em Cataguases e garante que traz a mesma expectativa de quando é escalado para jogos profissionais. “Minha estreia no JIMI foi em 2004, em Conselheiro Lafaiete. Desde então, sempre que posso, tenho muito prazer de participar. Para mim, é uma competição de igual importância se comparada àquelas em que represento o Brasil”, conta. “Independente de qualquer coisa, o trabalho do árbitro deve ser sempre sério. Desde o primeiro dia, é necessário disciplinar as equipes para que as disputas transcorram com tranquilidade. Por se tratar de um evento que não é profissional, às vezes é necessário também instruir alguns atletas que não conhecem tão bem as regras”, relata.

A poucos dias do início dos Jogos, ele assume a ansiedade. “Esse friozinho na barriga faz parte, é importante para o árbitro. Se você não tem isso, pode não conseguir realizar o trabalho de forma eficaz. É sempre bom e motivador”, encerra.

JIMI terá três etapas
Em 2017, o JIMI é realizado em três etapas. A microrregional é a primeira delas e aponta os classificados para a regional, que será realizada entre 06 e 10 de setembro em quatro sedes –Pitangui, São João del Rei, Montes Claros e Itabira – com disputas de basquete, futsal, handebol e voleibol. Diferente do que aconteceu em 2016, as equipes classificadas serão agrupadas em apenas uma divisão.

Já a etapa estadual acontece entre 11 e 15 de outubro, com esportes coletivos, além dos individuais e paralímpicos: atletismo (paralímpico e convencional), natação (paralímpica e convencional), ciclismo speed, ciclismo mountain bike, judô, karatê, taekwondo, xadrez, bocha paralímpica e basquete em cadeira de rodas.

Cerimônias de abertura das microrregionais:
João Monlevade (Metropolitana)
Data e horário: 14/06, às 19h.
Local: Praça do Povo
Endereço: Avenida Getúlio Vargas, s/nº – Centro.

Pitangui (Sudoeste-Oeste)
Data e horário: 14/06, às 19h.
Local: Ginásio Poliesportivo da Praça de Esportes
Endereço: Rua Francisco Borja, s/nº – Bairro São Francisco.

Jequitinhonha (Jequitinhonha-Mucuri)
Data e horário: 14/06, às 19h.
Local: Ginásio Dativo Botelho
Endereço: Avenida Doutor Franco Duarte, 586 – Centro.

Montes Claros (Norte-Central)
Data e horário: 14/06, às 19h30.
Local: Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves
Endereço: Avenida Lago de Três Marias, s/nº – Bairro Monte Carmelo.

Pouso Alegre (Sul)
Data e horário: 14/06, às 20h.
Local: Ginásio da Praça de Esportes Municipal (Rosão)
Endereço: Avenida Agripino Rios, s/nº – Bairro Jardim Olímpico.

Frutal (Triângulo-Noroeste)
Data e horário: 14/06, às 19h.
Local: Alvorada Praia Clube
Endereço: Praça Frei Gabriel, s/nº – Centro.

Cataguases (Vertentes-Mata)
Data e horário: 14/06, às 20h.
Local: Praça Chácara Dona Catarina
Endereço: Bairro Sereno.

Ponte Nova (Caparaó-Vale do Aço-Rio Doce)
Data e horário: 14/06, às 19h.
Local: Ginásio Poliesportivo do Palmeiras
Endereço: Avenida Nossa Senhora das Graças, s/nº – Bairro Guarapiranga.

Quase tudo pronto para as disputas Microrregionais do JIMI 2017

Nas duas últimas semanas foram realizadas oito reuniões técnicas nas nas cidades que receberão a primeira fase

Está quase tudo pronto para a disputa das etapas microrregionais do JIMI. Nas duas últimas semanas foram realizadas as reuniões técnicas, nas cidades que receberão a primeira fase da principal competição esportiva do estado, entre os dias 14 e 18 de junho.

Divididas em duas datas, as reuniões aconteceram em Pouso Alegre (Sul), Montes Claros (Norte-Central), João Monlevade (Metropolitana) e Jequitinhonha (Jequitinhonha-Mucuri), no dia 16 de maio. Enquanto no dia 23, foi a vez de Ponte Nova (Caparaó-Aço-Doce), Pitangui (Sudoeste-Oeste), Frutal (Triângulo-Noroeste) e Cataguases (Vertentes-Mata) receberem os representantes da Secretaria de Estado de Esportes (SEESP) e dos municípios participantes do JIMI.

Nos encontros, foram realizados os sorteios das chaves das modalidades e as vistorias nos locais de competição e alojamentos. Além disso, os representantes municipais puderam obter esclarecimentos sobre os regulamentos da competição.

Agora, a expectativa é para a definição dos confrontos que acontecerão nessa etapa microrregional. A programação dos jogos, conforme cronograma de execução, será divulgado na próxima quarta-feira (31).

Mais informações: www.jimi.esportes.mg.gov.br

Em caso de dúvida, entre em contato pelo e-mail: jimi@esportes.mg.gov.br

Fonte: Felippe Drummond/SEESP