Após reuniões técnicas, cidades sede acertam últimos detalhes para a Regional do JIMI

Print Friendly
Campeã da Microrregional, a equipe de vôlei feminino de Montes Claros é uma das favoritas para ficar com o título da Regional. (Foto: Aquila Larissa/Arquivo Pessoal)

Faltando pouco mais de duas semanas para o início da etapa Regional os Jogos do Interior de Minas (JIMI), competição realizada pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), que será sua disputada entre os dias 6 e 10 de setembro, nas cidades de Itabira, Montes Claros, Pitangui e São João Del Rei, foi divulgada, pela Comissão Organizadora do JIMI, os emparelhamentos das modalidades de basquete, futsal, handebol e vôlei, nos naipes masculino e feminino.

Veja como ficaram as chaves da etapa Regional: Metropolitana–Caparaó–Vale do Aço–Rio Doce (Itabira)Jequitinhonha–Mucuri–Norte–Central (Montes Claros)Triângulo–Noroeste–Sudoeste–Oeste (Pitangui) e Sul–Vertentes–Mata (São João Del Rei).

Após as reuniões técnicas que aconteceram no último dia 10 de agosto, nas quatro cidades sede, onde foram realizados os sorteios das chaves das modalidades e as vistorias nos locais de competição e alojamentos, ficaram faltando apenas detalhes para que tudo esteja realmente pronto. Este é o caso da complementação das inscrições de atletas para essa fase, que foi prorrogado, por meio da Nota Oficial 036/2017, até o dia 31/08.

Com essa definição em mãos, os municípios que receberão a segunda fase do JIMI também podem acertar os últimos detalhes de logística para receberem os quase 4 mil atletas/técnicos que disputarão essa etapa que promete levar aproximadamente 20 mil pessoas aos ginásios das partidas.

Cada cidade uma preferência
Minas Gerais possui o tamanho de um país, por isso, é normal que cada região tenha suas próprias características, seja no sotaque, no clima, nas comidas típicas e até mesmo na preferência esportiva. E é exatamente no último aspecto que cada Regional do JIMI se diferencia.

Não é segredo para ninguém que a população de Montes Claros é apaixonada pelo vôlei. Por isso, das quatro modalidades que estarão em disputa na segunda fase do JIMI, o vôlei masculino e feminino são as que geram as maiores expectativas locais. Não atoa, as equipes que representarão a cidade na modalidade são considerados favoritos ao título da Regional Jequitinhonha–Mucuri–Norte–Central.

Ponteira da equipe feminina, Aquila Larissa sabe que jogar em casa, diante de uma torcida tão apaixonada pelo vôlei, é um privilégio e um incentivo a mais para conquistar a vaga para etapa estadual. “Nos Jogos de Minas, no ano passado fomos campeãs da microrregional e da Regional, mas não conseguimos conquistar o título estadual. Dessa vez, queremos o primeiro lugar e poder ter a torcida a nosso favor é um incentivo e tanto”, conta a atleta.

No lado oposto do estado, na Regional Sul–Vertentes–Mata, que será disputada em São João Del Rei, as principais expectativas são para as competições de basquete e handebol masculino. “Temos uma tradição de sempre nos classificarmos para a fase estadual nessas duas modalidades, e este ano não será diferente. Queremos fazer bonito como cidade-sede, mas também dentro de quadra“, aposta o secretário de Esportes e Lazer de São João Del Rei, Antônio Marcos.

Já pelas regionais Noroeste–Sudoeste–Oeste e Caparaó–Aço–Doce–Metropolitana que serão realizadas respectivamente em Pitangui e Itabira, a disputa que desperta o maior interesse é o futsal masculino.

Campeão da Microrregional, o time de Futsal Masculino de Pitangui quer fazer bonito também na Regional (Foto: José Marcos Diniz/Arquivo Pessoal)

 Em Pitangui, o principal fator que faz do futsal a modalidade preferida é o equilíbrio da competição. Várias cidades chegam nessa fase com chance de conquistar o título, entre elas o time da casa. Comandado pelo técnico José Marcos Diniz, que foi vice-campeão estadual do JIMI em 1999, como atleta, a equipe vai em busca do título.

“Disputei 19 edições do Jimi no Futsal, entre 1985 e 2004. E, apesar de ter conquistado o título da primeira e segunda fase da competição (antigamente a Microrregional e Regional eram chamadas assim) não conseguimos o sonhado título estadual. Em 1999, perdemos a final para Montes Claros, mas como eles não quiseram disputar o Brasileiro, representamos o estado e fomos o time vice-campeões”, conta Zé Marcos.

Já em Itabira o futsal masculino chama a atenção não pelo fator equilíbrio, mas porque todos as equipes participantes tem um objetivo em comum, bater o time de Ponte Nova que é considerado o mais forte da Regional. “Sabemos que todos nos olham como favoritos, isso aumenta um pouco a nossa pressão, mas não nos atrapalha. As cidades investem sempre em atletas de outras cidades e até mesmo outro estado para nos enfrentar, mas esperamos fazer bons jogos para conseguir nossa vaga na Estadual”, destaca Bernardo de Freitas, que além de ser o representante de Ponte Nova, também é jogador do time da cidade.

Fonte: Felippe Drummond